Começamos por explicar em que consiste uma rede wireless ou WiFi ou rede sem fios, trata-se de uma “infraestrutura das comunicações sem fios que permite a transmissão de dados e informações sem a necessidade do uso de cabos”.

Poderemos afirmar que numa Estrura Residencial para Idosos (ERPI) o uso de uma rede WiFi profissional traz diversos benefícios, quer operacionais, havendo uma maior flexibilidade possibilita comunicar sem restrições e os funcionários estão permanentemente contactáveis; quer financeiros, pois evita a instalação de redes telefónicas sem fios, permitindo numa só infraestrutura fazer a comunicação de voz e dados. Assim, todos os funcionários, utentes ou convidados poderão usufruir do seu uso, de forma devidamente controlada.

A utilização de smartphone e tablets no nosso dia-a-dia passou a ser banal, e nas ERPI, os utentes utilizam-nos de forma lúdica, e os funcionários para apoio às suas actividades (por exemplo, para fazer registos de actividade diária, acesso à internet, etc). Estes equipamentos estando ligados à rede WiFi permitem receber informação onde quer que se encontrem, simplificando o trabalho do pessoal auxiliar. O uso de smartphone por parte da equipa de vigilantes é fundamental para o bom desempenho desta e, consequentemente, garante um maior conforto e comodidade para o utente. Através de um simples smartphone ou tablet é possível dispor de um conjunto de informações e funções vitais que permitem o aumento substancial da eficiência e eficácia da equipa de cuidadores. Tais como:
– Efectuar e receber chamadas telefónicas internas/externas;
– Permite a comunicação entre os elementos da equipa prestadora de cuidados para auxílio mútuo;
– Efectuar chamadas de emergência;
– Permite ao utente atender uma chamada telefónica sempre que se vê privado de sair do quarto;
– Permite ao prestador de cuidados receber chamadas telefónicas automáticas sempre que um utente accionar o sistema de chamada de enfermeira (“quadro de alvos”);
– Integrar com o intercomunicador/vídeo porteiro para atender e/ou abrir a porta de acesso ao exterior;
– Receber chamadas informativas de diversos tipos de alarme (sensores de portas de emergência, portas dos quartos, sensores de colchão e/ou tapete) para apoio a utentes com demência.

Numa época em que o envelhecimento da população tem vindo a aumentar, estudos indicam que os idosos deverão representar 32% da população portuguesa em 2050, prevendo-se que Portugal seja o país mais velho da UE, a seguir à Grécia, no final do século, torna-se imprescindível equipar as ERPI com a mais inovadora tecnologia para dar conforto e comodidade aos nossos idosos, de modo a que estes vivam de forma digna o “Inverno” das suas vidas.

Para concluir, podemos potenciar o uso de uma infraestrutura WiFi com inúmeras vantagens inerentes à utilização de smartphone e/ou tablets que estando ligados à rede WiFi têm cobertura de internet em todo o edifício, permitindo uma grande mobilidade dos auxiliares, estando estes permanentemente contactáveis para qualquer situação de emergência, o controlo das portas, a facilidade de comunicação interna entre elementos da equipa, o aumento da produtividade da equipa, maior segurança, integração com sistema de chamada de enfermeira (recepção dos pedidos de auxílio dos quartos/wc´s), e outros sistemas (de controlo de errantes, de controlo de acessos, de alarmes diversos, etc).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *