sistema de controlo de dementes

Este texto tem o desiderato de esclarecer as vantagens da utilização da tecnologia de RFID no sistema de controlo de dementes. Mas para falarmos de demência temos quase que obrigatoriamente falar de envelhecimento.

Este tema encontra-se na ordem do dia, é uma questão sensível que tem requerido uma especial atenção por parte dos líderes políticos, sendo o velho continente o mais afectado, uma vez que a par do envelhecimento da sua população, a natalidade tem diminuído drasticamente nas últimas décadas.

No caso português, a população com mais de 80 anos duplicou nos últimos 20 anos, isto porque “estamos a viver muito mais anos e este fenómeno não é necessariamente mau. Pelo contrário. Obviamente, haverá mais pessoas com doenças crónicas, mas não queremos regredir ao tempo em que a esperança média de vida era de 60 anos”, como explica Maria Filomena Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Demografia. O estudo realizado pela Universidade Católica “2018 – Desafios para Portugal”, demonstra que 54,5% dos inquiridos refere que o envelhecimento da população é um dos principais desafios que Portugal enfrentará nos próximos anos. Se tivermos em conta as últimas projecções do Instituto Nacional de Estatística (INE) que não são animadoras, uma vez que revelam que o envelhecimento da população portuguesa só estabilizará perto de 2060, passando 10.292 milhões para 7.478 milhões em 2080. O tema do “envelhecimento” deve ser tratado com algum cuidado, mas com muita urgência pelas autoridades competentes, e pela própria sociedade civil.

Este envelhecimento aumenta exponencialmente a taxa de diagnósticos de demências, como refere José Carreira, presidente da direcção da Alzheimer Portugal, “com o envelhecimento da população portuguesa, a taxa de prevalência das demências, sendo a doença de Alzheimer a mais prevalente, irá aumentar de ano para ano, pelo que é fundamental o reconhecimento dos sinais de alerta, que permita, por sua vez, um diagnóstico mais atempado”.

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Portugal é já o 4.º país com maior número de pessoas diagnosticadas com demência por cada 1000 habitantes. O principal factor de risco para desenvolver a demência é o factor idade, no entanto sabemos que adoptar um estilo de vida saudável pode diminuir ou retardar o risco de desenvolver a doença. Mas o que é a demência? Trata-se de um termo genérico para designar um conjunto de doenças nas quais se verificam a deterioração da nossa capacidade cognitiva e comportamental, traduzindo-se na perda significativa da memória, de competências intelectuais e sociais, alterações das reacções emocionais, originando uma inevitável perda de autonomia. Portanto, é pertinente perguntar como iremos proteger as pessoas que tendo desenvolvido demência, se tornam vulneráveis e colocam a sua própria segurança em risco?

Ora, é premente encontrar formas eficazes de protecção aos portadores de demência. No mercado encontramos uma panóplia de produtos para esse fim. No entanto, é importante assegurar que as pessoas a quem se pretende proteger não se sintam vigiadas, limitadas na sua liberdade, daí exigirmos uma total discrição e respeito, e que o sistema a utilizar não seja de modo algum intrusivo.

O sistema de alta tecnologia RFID (radio frequency indentification – identificação por rádio frequência que permite a captação automática de dados) baseado na identificação de pessoas à distância, permite controlar pessoas com algum tipo de dependência, como os portadores de Alzheimer ou outro tipo de demência, evitando que estes se percam, fujam ou cheguem a sofrer algum tipo de acidente. Assim, torna-se possível gerir e controlar as saídas, as portas de emergência, os elevadores, as escadas, os corredores, os quartos, e saber exactamente a localização de cada usuário.

O seu funcionamento é extremamente simples, cada usuário é portador de um dispositivo RFID (Tag activo – pode ser uma pulseira, um cartão), com uma identificação única que permita identificá-lo de forma inequívoca no caso de produzir-se uma ocorrência de alarme. As zonas seleccionadas para controlo irão dispor de um sistema de leitura, dispositivo de alerta, que permitirá controlar os movimentos do usuário portador de um Tag. No caso deste passar nas zonas controladas, é produzido um alarme, a central receptora é notificada, e desencadeia uma série de acções pertinentes, entre elas o envio imediato de uma SMS para os telefones móveis aptos para o objectivo. Este sistema permite estabelecer protocolos de actuação para cada situação especifica, dependendo do usuário detectado e da sua localização.

O sistema baseado em RFID activo é recomendado para ser implementado em residências geriátricas, hospitais, centros de dia. Consequentemente, evita-se que as pessoas portadoras de algum tipo de demência e/ou com graves problemas de orientação, possam sair do edifício controlado e se percam, supondo um risco elevado ao seu bem-estar e integridade física. Tratando-se de um sistema de controlo eficaz e eficiente, cujo primaz objectivo é a protecção dos seus usuários, também pode ser aplicado em escolas, berçários, creches, jardins de infância ou centros de lazer.

Em suma, poderemos enumerar as principais vantagens do sistema de controlo de dementes baseado em tecnologia RFID com tags ativos, tais como:
– A posição dos usuários ou sua proximidade às saídas ou outras zonas de risco, pode ser sempre controlada de forma efectiva e segura.
– Mediante o RFID activo os usuários são tratados com discrição e respeito, evitando que se sintam enclausurados ou prisioneiros, já que se eliminam as barreiras físicas mais perceptíveis.
– O controlo de dementes é um sistema fiável e seguro, dando uma maior tranquilidade aos familiares, e facilitando o desempenho da equipa de prestadores de cuidados.
– A equipa de cuidadores pode usar os tags para estar sempre localizável, permitindo gerir de forma eficaz e eficiente as situações de urgência.

Existem diferentes formatos de Tags activos, pelo que se pode utilizar o encapsulado que mais se adapte às necessidades da aplicação ou do usuário. Estes activam os sistemas automáticos, como alarmes, envios SMS, bloqueio de portas, activação de protocolos de emergência.

O sistema de controlo de dementes baseados na leitura de Tags evita situações limite e de consequências nefastas. Fá-lo de forma eficaz e segura, salvaguardando a pessoa, e com a total discrição e respeito devido aos seus usuários.

Nota: o texto não foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Importância das redes wi-fi na área de apoio sénior

2 thoughts on “Tecnologia RFID – sistema de controlo de dementes

  1. Caros Senhores
    Considero o sistema que apresentam com potencial para o controle de clientes com as patologias que referem. Contudo a terminologia utilizada não é a adequada, para profanos na matéria, tendo em vista uma análise objectiva da bondade da solução.
    Em que consiste a tecnologia RFID, e o que é um RFID activo, o que é um TAG, e um TAG activo ?
    Como é feita a monitorização do sistema? Percurso seguido através de monitor, obrigando a um recurso afecto a essa observação, ou por emissão de alerta para situação potencialmente de risco.
    Como são introduzidos no sistema os pontos de risco emissores de alerta?
    Como funciona o sistema na sua globalidade?

    1. Ex.mo Sr. António Guerra,

      gostaríamos de apresentar-lhe as N/ desculpa pela resposta tardia. Agradecemos o seu comentário, o qual mereceu a N/ melhor atenção.
      Caso pretenda informações mais detalhada sobre os N/ produtos, por favor contacte-nos através do geral@bcotech.com
      Ao dispor.
      Melhores cumprimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *